sexta-feira, 8 de agosto de 2014

ÉTICA E VALORES - AMIGO É!

Por Luiz Roberto de Aguiar. 

Um amigo é sempre bem vindo, principalmente quando este amigo age da forma correta. Muitas vezes nos deparamos com situações difíceis, complicadas mesmo e nessas ocasiões é muito importante ter amigos de verdade.

Observamos uma intensidade de pessoas nas redes sociais se dizendo possuidores de grande quantidade de amigos, imaginando-se protegidos por estes e rodeados de amor.

Várias pessoas acreditam que o amigo estará a sua disposição sempre que precisar, ou pelo menos quando surgirem os problemas de maior intensidade.

Agindo dessa forma centenas de pessoas ao redor do mundo são iludidas, enganadas e abandonadas, em alguns momentos são usadas como se fossem coisas e as coisas são amadas como se fossem pessoas.
Lendo o provérbio “Como o ferro afia o ferro, um amigo afia o outro” – Provérbios 27.17 (versão A Mensagem, 2011, Editora Vida), me sinto desafiado a refletir sobre essa questão. O que têm levado tantas pessoas a se sentirem decepcionadas em suas relações de amizade? De onde vem a resistência de determinadas pessoas em ouvir o que um amigo (a) lhe diz diante de certas situações? E por que ignorar tais conselhos, os quais poderiam promover a escolha positiva e evitar prejuízos?

As relações de amizade na atualidade andam se baseando muito naquilo que se espera receber do outro, quando muitas vezes o outro muito pouco pode nos oferecer. E isso ocorre por conta da instabilidade emocional que o ser humano atravessa por conta da pós-modernidade, a qual nos traz em sua bagagem o imediatismo, o egocentrismo, o materialismo, a valorização do ter ao invés do ser e a falta de sensibilidade moral ao indivíduo do século XXI entre outras características.

Essas características vividas tão intensamente e até mesmo de modo imperceptível em muitas situações, acabam implodindo as amizades.

De outro modo, o orgulho crescente direciona as pessoas para a resistência ao hábito da troca de idéias entre as pessoas, da busca de conselhos, inclusive da construção de ambientes seguros para esse tipo de troca e compartilhamento.

Precisamos voltar a tempos atrás e sermos humildes, pois outro provérbio nos diz o seguinte: “Quem ouve os bons conselhos viverá bem e será como um convidado de honra entre os sábios”, (Pv 15.31).

Ouvir conselhos auxilia no entendimento da própria situação, nos ajuda a entender nossa postura e a do outro, possibilita o pensa a respeito, o que com certeza orienta de forma segura nossa tomada de decisão.
Que realmente rompamos sobre nós as influências da pós-modernidade, que nos possibilitemos ouvir mais um ao outro, considerando assim a posição alheia, sairmos da caixa do egoísmo e do individualismo e em parceria com uma ou mais pessoas possamos viver vidas mais alegres, menos estressantes, afiando-nos uns aos outros e se permitindo ser afiado por um ou mais amigos.   

0 comentários:

Postar um comentário